quinta-feira, 24 de julho de 2014

Super-Heróis, na época da inocência perdida

Na época da inocência perdida

Esta noite conclui a leitura do livro "A história secreta da Marvel" do escritor Sean Howe, sou fã dos quadrinhos da Marvel desde 1967 quando tomei contato com os personagens pela TV em desenhos patrocinados pela Shell e naquele tempo intitulados de Os Super-Heróis Shell.

Os Super-Heróis Marvel que se chamavam Super-Heróis
Shel por serem patrocinados pela Shell nos anos 60

Os desenhos eram toscos e não prenderiam a atenção das crianças "antenadas" de hoje, ainda mais que eram branco e preto pois que em 1967 não havia imagem em cores nas TVs no Brasil. Mas, definitivamente isto não era importante. Para nós que liamos as revistas publicadas pela EBAL destes novos super-herois também em branco e preto, a falta de cor não nos incomodava em nada.

Capa do número zero da Revista Capitao Z
da Ebal que trazia o Capitao América e o Home de Ferro.
Esta número zero tinha exclusividade de venda
nos postos Shell.
A primeira vez que tomei contato com o Capitão América (de longe o meu preferido), Homem de Ferro, Thor, Namor e Hulk naquele distante ano de 1967 foi exatamente pela TV logo depois os postos Shell começaram a vender com exclusividade o número zero da revista Capitão Z com as aventuras do Capitão América e Homem de Ferro, a partir do número 1 estas publicações mensais da EBAL foram para as bancas e o resto é história.

Contra capa e primeira folha do Capitão Z número zero
em branco e preto como todas as revistas publicadas pela
EBAL na decada de 60.

Stan Lee e Jack Kirby

desde a primeira história destes personagens, diferente das historias do Batman e Super-Homem que já eram publicadas no Brasil há muito tempo, notei que a primeira página da história era sempre um quadro grande de página inteira que mostrava uma panorâmica do episódio que já nos preparava para a surpresa do restante do enredo, neste primeiro quadro havia inovadoramente uma informação: História de Stan Lee e desenhos de Jack Kirby, passamos o nos acostumar em ver esta informação e a ficar abismados em ver que todos os argumentos dos Super-heróis Marvel (Shell) eram do Stan Lee, fato que me surpreendia até ler o livro A História Secreta da Marvel.

Stan Lee e Jack Kirby em 1967

Não que o Stan Lee não tenha escrito a maioria dos grandes enredos e criado ou participado da criação do Universo Marvel em quase toda sua totalidade. O fato é que a produção de quadrinhos pela Marvel era uma grande linha de produção planejada, elaborada e executada para vender gibis, milhões de gibis, não tenho nada contra, eu mesmo devo ter comprado milhares deles nos bons tempos. 

A leitura deste livro quebrou um pouco o encanto por que mostra que nossos ídolos que estavam por trás dos personagens que gostávamos eram pessoas normais com virtudes e defeitos como todos nós.

Capa do livro A História Secreta da Marvel

O importante é se divertir

Mas isso não é relevante, o livro conta tudo, para quem conhece o universo Marvel é uma viagem no túnel do tempo, para quem não conhece, é mais difícil desfrutar das histórias, mas se voce comprou o livro e começou a ler é por que no mínimo gosta da turma Marvel.

O importante é se divertir e isto era garantido com os personagens Marvel.

Minha infância foi feliz e dinâmica em grande parte devido as revistas da EBAL e todas as aventuras que me faziam viajar no tempo e no espaço de acordo com cada personagem. Ainda hoje passados quase meio século ainda gosto de ler e viajar com o Capitão América & Cia, mas não gosto dos filmes, gosto de ler os meus gibis da EBAL em branco e preto mesmo.

Excelsior!  Como dizia Stan Lee.

Abertura do desenho do Capitão América de 1967


Abertura do desenho do Homem de Ferro de 1967