quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

ENTREI PELO CANO, FLANELINHA DE PEDESTRE? SÓ NO BRASIL MESMO

entrei pelo cano, flanelinha de pedestre? Só no Brasil mesmo

De acordo com a Wikipédia o “flanelinha” é o apelido dado a um indivíduo que por norma se utiliza de coação para conseguir remuneração pelos serviços prestados no estacionamento, na limpeza ou na proteção de um veículo automóvel.
O nome "flanelinha" vem do uso em decadência de uma flanela para limpar os vidros dos automóveis.

Ou seja é mais um imposto que os donos de carro tem que pagar para estacionar nas ruas onde tecnicamente tem direito devido ao IPVA que já é pago. Uma dupla tributação.

Foto do site http://static.vvale.com.br/wp-content/uploads/2012/11/flanelinhas.jpg
É SÓ CEM PAÚS

Mas vá você implicar com o “flanelinha” e não pagar o que eles determinam, isso mesmo, determinam, por que dependendo do evento esta conta pode sair bem carinha, ou os “100 pau” que eles lhe pedem pra tomar conta do carro do doutor, ou pneus furados, amassados, arranhões ou o carro furtado para ficar por aqui mesmo.

Antigamente havia os estacionamentos com manobristas onde teoricamente você estaria seguro uma vez que o manobrista tem uniforme e trabalha para uma empresa estabelecida com seguro e tudo. Mas isso é só teoricamente, por que na verdade eles deixam o carro na rua mesmo e se acontecer alguma coisa você deve se virar e torcer para o seguro valer alguma coisa.

foto do site http://denisonparking.com/files/i/current/valet.jpg
Outro problema dos manobristas é o cheirinho que as vezes fica no carro, o desalinhamento de bancos e espelhos e a subtração de CDs, óculos e GPS que por ventura você tenha deixado no SEU CARRO.
É bom deixar claro que em alguns lugares há serviços de manobristas de respeito e bem profissionais, estes lugares, por exemplo, grandes buffets, nem cobram pelo estacionamento, então é bom dar uma boa gorjeta para o manobrista.

O fato é o seguinte, os “flanelinha” deveriam ser proibidos de atuar, por n razões, mas a principal mesmo é segurança, eu não confio nem de olho fechado nestes caras. Até que tenho saído pouco de carro e ai pensei, problema resolvido né, sem carro, sem flanelinha. Mas eis que os flanelinhas da minha rua ao perceberem que eu moro “bem ali” começaram a me abordar e pedir uma “contribuição dotô que hoje tá fraco o negócio” ai eu entrei pelo cano, flanelinha de pedestre? Só no Brasil mesmo, viva com um barulho destes.

VALET PARKING

foto do site http://psipanema.blogspot.com.br/2009/03/valet-parking.html
Outro dia vinha andando pela rua e me deparei com uma placa no restaurante oferecendo “VALET PARKING” fiquei intrigado e perguntei se era algum prato novo e diferente que a casa estava lançando e vejam a minha surpresa ao ouvir a seguinte explicação:
“Doutor, VALET PARKING é um serviço de PARKING o senhor deixa seu carro aqui com o VALET e ele FAZ O PARKING pro senhor e o senhor dá um TIP pra ele quando receber o carro”.
Pensei cá com meus botões, a “idiotização” brasileira em mesclar o português com termos em inglês por este complexo de vira lata e em querer ser gringo e ser de primeiro mundo realmente conseguiu fazer do idioma português um dialeto como o “spaninglish” falado pelos habitantes da Califórnia. A minha pergunta é NÓS PRECISAMOS DISSO?