domingo, 17 de outubro de 2010

O que fazer quando o cliente reclama?


Inaugurou há poucos meses, ou melhor há quase um ano, um novo Shopping na cidade, O Pátio Dom Luís, bacana não é? É, mas  tem coisas boas e coisas ruins (podemos falar disso depois). Uma das coisas boas é ter uma praça de alimentação a sua disposição sem precisar “ir de carro” com todos os problemas que o deslocamento de carro trás em qualquer cidade do Brasil atualmente.
Experiência Negativa entre o prestador de serviço e o cliente – Parte I
Ontem eu e minha filha Thaís fomos almoçar na praça de alimentação do Shopping Pátio Dom Luís, ela havia me falado de um sanduiche diferente que ela havia consumido no Subway e eu queria experimentar então fomos até lá. Apesar de ser um sábado por volta das 15:00 a praça de alimentação estava relativamente vazia para um Shopping aos sábados. Nos dirigimos ao Subway onde fomos recebidos “adequadamente” pela atendente sorridente que me ofereceu todas as alternativas que ela tinha para aumentar o tíquete médio, como sou do ramo, adoro quando as pessoas fazem isso, afinal vender é saudável. Fiquei acompanhando o espetáculo da preparação de um sanduiche do Subway que acho uma idéia fantástica. É uma pequena linha de montagem. Durante este processo, como costumo fazer sempre, fico observando tudo e todos a minha volta, como nasci, me criei e vivo em operações, este é um dos meus hobbies preferidos, encontrar problemas na operação dos outros, e na minha também evidentemente que ninguém é perfeito.
Quando me desloquei ao caixa para pagar, notei uma pessoa conversando com este atendente “LITERALMENTE” deitada e apoiada com os cotovelos e braços em cima das bandejas onde a “comida” e a “bebida” dos clientes é servida. Olhei intensamente para o caixa, que retribuiu o olhar mas não fez nada, fiz um gesto com a cabeça mostrando o “preguiçoso anti higiênico” deitado nas bandejas e ele não esboçou nenhuma reação. Então falei alto e claro para todos a minha volta ouvirem “Você terá que lavar esta bandejas agora” tanto o caixa quanto o seu amigo “porco” me olharam de cima abaixo e voltaram para sua conversa. Então eu olhei a atendente que continuava a preparar nossos sanduiches e falei “ Pode cancelar eu não vou mais querer estes sanduiches” dei a volta e fui embora sem ninguém fazer nada, nem pedir desculpas. O Subway não vai perder o cliente, ao menos por enquanto, mas o Subway da praça de alimentação do Shopping Pátio Dom Luís perdeu.
Experiência Negativa entre o prestador de serviço e o cliente – Parte II
Não acabou ainda. Quais eram as minhas opções, eu queria um sanduiche, a outra opção da praça de alimentação do Pátio Dom Luís é o BOBS, ótimo eu também gosto do BOBS. Lá correu tudo normalmente como é esperado de uma equipe bem treinada. Exceto por dois fatores:
Primeiro: O sanduiche que pedi não estava disponível, a explicação é que os sanduiches do lado esquerdo do Menu não estavam disponíveis nesta filial. Então pedi algo do lado direito do Menu, engraçado né? Mas é verdade. A refeição foi servida com qualidade, dentro do prazo e do tipo de serviço que o BOBS presta aos seus clientes, nada espetacular, mas eficiente.
Segundo: Lembra daquele rapaz “que gosta de deitar nas bandejas”? pois é, advinha só, enquanto consumia meu sanduiche do BOBS eu o vi entrar e se dirigir a área de funcionários, não o vi voltar uniformizado, mas deduzo que ele ou é funcionário do BOBS ou é muito amigo da “galera” da praça de alimentação do Shopping Pátio Dom Luís.
Eu, como cliente, não usarei mais os serviços do Subway e do BOBS do Shopping Pátio Dom Luís pelos obvios motivos explicados acima.
Se você tem um restaurante ou um “Fast Food” no Shopping Pátio Dom Luís, cuidado com o “deitador nas bandejas” que anda circulando por lá.
O jeito certo de receber a reclamação do Cliente e transformar a Experiência Negativa em uma Experiência Positiva
Um cliente ao pagar sua refeição nota que um pessoa está debruçada e apoiando os seus cotovelos e braços em cima das bandejas onde sua refeição será servida e avisa ao caixa. O Caixa pede desculpas, repreende a pessoa que estava debruçada com os cotovelos e braços nas “suas” bandejas e solicita a um ajudante que recolha todas as bandejas para serem lavadas imediatamente.
Em seguida se propõe a recompensar a má imagem com algum serviço extra para uma próxima visita deste cliente perturbado com esta experiência. O cliente agradece e aguarda sua refeição sabendo que naquele lugar as pessoas se preocupam com o serviço, atendimento, qualidade dos produtos, higiene e o mais importante com a imagem de seu nome.
É pedir demais que este tipo de ensinamento faça parte do treinamento das equipes e não só a preocupação em aumentar o Tíquete Médio?