quarta-feira, 30 de junho de 2010

Qualidade, Serviço, Limpeza e ketchup nas veias

No ano de 1983 comecei minha carreira como trainee no McDonald´s, este foi meu primeiro emprego fora da empresa do meu pai, respondi ao anuncio na época que desafiava “Você é capaz de administrar um negócio de um milhão de dólares?” e não me arrependi, o McDonald´s onde trabalhei entre 1983 e 1989 foi a minha grande escola e até universidade, pois em 1984 fiz um curso nos Estados Unidos na Hamburger University em Oak Brook, Illinois, de onde sai com um diploma de “Bachelor in Hamburgerology” fantástico não?
Aprendi nesta época a comandar uma equipe de adolescentes que preparavam e vendiam milhares de hambúrgueres, toneladas de batatas fritas e litros e litros de Coca-Cola. É importante frisar que não havia uma preocupação com comida e hábitos saudáveis muito latente neste tempo. Também aprendi a afiar a minha capacidade de observação nos três credos da empresa que creio são usados até hoje: Qualidade, Serviço e Limpeza. Sinto uma nostalgia singela em lembrar como eu trabalhava feliz voando pelo restaurante de olho em tudo o que acontecia nos dois andares da loja da Rua São José no centro do Rio onde passei uma temporada curta como trainee mas que me rendeu uma base solida para a carreira que desenvolvi dentro do McDonald´s.
Utilizo muito ainda do que aprendi nesta época, por que os conceitos básicos de administrar uma loja seja de hambúrguer, roupas, supermercados ou farmácia são os mesmos. Atenção nos detalhes, rapidez nas pequenas decisões do cotidiano, fazer sua equipe feliz e produtiva, manter o ambiente da loja limpo, organizado, arrumado e agradável para os clientes, VENDER e ganhar dinheiro.
Para mim que fui treinado nisso é muito fácil manter estas bolas no ar, sou tão condicionado que  quando freqüento o McDonald´s em qualquer cidade que eu esteja, faço um check list virtual de onde fico sentado olhando e observando tudo, começando com a minha refeição na bandeja, e até corrigindo mentalmente toda a operação que se desenrola na minha frente. Alias, este é um dos meus passatempos preferidos, observar a operação do lugar onde estou, supermercados, aeroportos, hotéis, padarias, farmácias, shopping centers nada passa impune ao meu olho critico e ao meu julgamento. Muitas vezes tenho vontade de dar um “golpe de estado” e assumir a operação de tão na cara que as soluções estão e o pessoal não consegue ver.
Você que tem seu negócio, seja de que tamanho for, adquira este hábito, observe sua operação, não como cliente, mas como comandante, olhe tudo, todos os detalhes, você verá que cada dia ficará mais fácil e mais abrangente. Verifique a limpeza do rodapé ao teto, passando pelas unhas e orelhas dos funcionários, temperaturas, cheiros, musica, ar condicionado, mostre e ensine a equipe o seu jeito de fazer as coisas. Seja paranóico nos detalhes.
Quero aproveitar o ensejo para agradecer a duas pessoas que me ensinaram muito nesta época, José Vidal e Norman Baines, os dois caras mais ketchup na veia que conheci até hoje.